Categoria: Pensamento

Acefalia de Gênero

Acefalia de Gênero

Não é correto e transcende as liberdades individuais impor a escolha e experimentação sexual a crianças e adolescentes nas escolas, como programas pedagógicos oficiais, alijando e reprimindo o pensamento contrário que se pauta na natureza de todas as espécies viventes: fêmea e macho.

Não é homofobia ou preconceito entender o mundo na sexualidade dualista, com variantes estatísticas de menor proporção para vias intermediárias, assim como ocorre em meio a todos os seres vivos em idênticos comportamentos ou transgenias morfológicas e funcionais.

Tão ou muito mais reprovável, igualmente um preconceito e intimidação às liberdades, é a imposição aos jovens para um suposto dever de abster-se de uma sexualidade latente fisiológica, abrindo-se a opções comportamentais pós vivência, ora elevadas como uma ditadura social.

Aceitar e respeitar o humano em quaisquer orientações sexuais, de que natureza ou fontes elas sejam, é totalmente diferente da presente e perigosa subordinação do intelecto e do emocional, aos preceitos de apologia a escolhas sexuais múltiplas sem limites, como se tal caminho fosse o único a ser seguido.

Não o é e deve ser reprimindo como preconceito hétero a contrário senso.